Receita de Brigadeiro de Capuccino

receita de brigadeiro de capuccino

Eu já falei sobre os callets de capuccino há um tempo atrás. Eu realmente gostei desse chocolate saborizado e é claro que eu tinha que testá-lo para fazer o brigadeiro.

Usei somente esse chocolate saborizado, sem misturar com chocolates como eu normalmente faço.

Para confeitar, eu usei café solúvel misturado com leite em pó em proporção de 3 para 1, isso é, para cada medida de leite em pó, eu usei uma de café solúvel. Mas o meu café solúvel não era lá essas coisas. Ele era granulado e não em pó, dai achei que não ia ficar bom.

Dica exclusiva: Você já sabe fazer o melhor brigadeiro do mundo? Veja aqui como.

confeito para o brigadeiro de capuccino

Os pontinhos grandes da foto são os granulados do café.

Mesmo assim arrisquei esse confeito.

Receita de Brigadeiro de Capuccino
 
Autora:
Ingredientes
  • 01 lata de leite condensado
  • 01 xícara de chocolate saborizado de capuccino
  • 01 colher de sopa de manteiga
  • Confeitos a gosto
Instruções
  1. Coloque na panela todos os ingredientes.
  2. Use o fogo baixo.
  3. Misture até o ponto desejado.

O resultado foram brigadeiros assim:

brigadeiro mordido de capuccino

E os pontinhos de café granulado que eu achei que iam estragar o meu brigadeiro, até que ficaram bom. Elas trouxeram um sabor mais forte do café para o brigadeiro, mas é bem de leve. Não é nada de matar, mesmo porque eu nem gosto tanto assim de café.

Outra coisa que eu falaria para você reparar é na textura, como ela ficou perfeita. Eu amei a cremosidade, o brilho.

 

Simplesmente muito gostoso. Aprovado!

Lembrando que esse brigadeiro de capuccino é a cara do inverno né?

brigadeiro de capucino para o inverno

 

E você, como faz seus brigadeiros de capuccino?

 

 

Para quem mais eu poderia vender brigadeiros?

como aumentar os clientesContinuando a saga da Carol vendendo brigadeiros…

Eu te contei primeiro como eu comecei a vender brigadeiros, depois eu contei como eu consegui as primeiras clientes.

E depois de conseguir as primeiras clientes eu pensei: e agora, para quem mais eu poderia vender brigadeiros?

Meu esposo estudava em uma escola boa de inglês lá perto de casa e na hora ele deu a ideia: por que não vender lá?

Dica exclusiva: Você já sabe fazer o melhor brigadeiro do mundo? Veja aqui como.

A primeira exigência da moça da cantina é que os brigadeiros deveriam ser grandes. Não importava muito o sabor não, mas tinha que ser grande.

Isso logo de cara me desanimou. Eu não sou adepta dessa filosofia. Eu estava prestes a fazer algo em que eu não acreditava.

Mas eu precisava tentar. Vai que essa era uma ótima oportunidade. Afinal, eu estava louca para sair do meu emprego. Eu não via  hora de abrir a minha doceria.

Eu estava disposta a tudo…

Além do tamanho monstruoso, eu tive um segundo problema. Esse brigadeiro ainda tinha que ser barato. Afinal, o brigadeiro iria ser revendido. Se fosse mais caro, ela não ia conseguir vender porque além do meu preço ainda teria o lucro dela.

Infelizmente eu tenho um grande problema com qualidade. Eu não conseguia comprar matérias primas mais baratas. Simplesmente porque eu não gostava. Se eu não gostava, como eu poderia vender isso para alguém?

Ainda dentro das minhas filosofias, eu continuava a vender o brigadeiro fresco. O meu prazo de validade para os doces eram de dois dias. Eu sempre fazia os doces bem fresquinhos e lindos.

Eu continuava comprando bons ingredientes e grandes tamanhos. O resultado era: exaustão e baixo lucro.

Suicídio a vista!

Inconformada coma  forma que as coisas estavam indo, eu decidi abordar um restaurante perto de casa. A comida era bem gostosa, mas os doces que eles tinham lá eram péssimos.

Ofereci os meus e eles aceitaram. Queriam fazer testes. Ok!

Mas de novo a mesma situação:  baixo preço, alto volume, a qualidade não importava tanto assim. ( Tanto é que os doces que eles vendiam eram péssimos. )

Resultado: desisti dos dois!

Mas qual era o problema realmente?

Não tinha errado nada com eles, nem nada com os meus doces. Eu só estava vendendo para as pessoas erradas.

Acredite ou não, cada tipo de produto tem seu público alvo. É impossível agradar a todo mundo!

Tem gente que gosta de brigadeiro grande e não se importa tanto com o sabor. Tem gente que prefere um tamanho menor e prefere saborear.

Tem gente que valoriza o máximo da qualidade e paga o que for. Tem gente que não se importa com qualidade desde que o preço seja baixo.

E não existe uma posição certa ou errada. O que eu quero dizer é assim, não tem nada de errado em gostar de comprar um brigadeiro barato, ou gostar de comprar um brigadeiro caro.

Cada um é cada um. Não existe certo ou errado. Existe o que é melhor para você! Ponto!

Como eu sou do grupo das pessoas que valorizam o sabor e não a quantidade, eu tive grande dificuldade em produzir para o público que não se importava com isso. Simplesmente porque era algo que eu não gostava.

Em outras palavras, eu não estava no meu ponto doce.

O que é esse ponto doce?

O ponto doce é aquela coisa que você faz que você não vê o tempo passar e acha a melhor coisa do mundo e se delicia com os seus resultados.

Os melhores negócios são construídos em cima do seu ponto doce, ou seja, em cima do que você tem de melhor a oferecer.

E eu simplesmente não estava no meu. Eu continuava a fazer algo que eu não acreditava, eu não gostava. Logo o resultado era desastroso.

Eu passava horas e horas me dedicando a algo que as pessoas simplesmente não se importavam tanto assim. E isso não leva a um sentimento muito legal.

Eu queria trabalhar com pessoas como eu, que valorizam tudo isso. Essas pessoas existem, elas sempre existem.

E eu ainda tinha uma segunda dificuldade

Eu comecei a me observar. Observava meus sentimentos. Observava os meus resultados, o que eu realmente queria.

E eu comecei a notar que o fato de não fazer exatamente o que eu queria me chateava. Mas tinha um segundo fato.

Eu não gostava de ficar horas e horas fazendo a mesma coisa. A obrigação de fazer brigadeiros era um grande empecilho.

Eu não me sentia bem com essa obrigação de fazer o mesmo sempre da mesma forma, sempre do mesmo jeito.

Eu sou uma pessoa extremamente criativa. Extremamente ativa.

Eu comecei que o meu problema estava na forma que eu estava trabalhando, eu não exatamente com o que…

Eu sempre soube, desde pequena, que eu queria mexer com doces, eu sempre sonhava com uma confeitaria.

Mas nessa jornada eu descobri que não era a minha vocação ser a confeiteira da confeitaria…

E então eu conheci o poder da internet…. Mas essa história eu te conto na semana que vem! =)

 

E você, como você faz para aumentar sua carteira de clientes?